Testemunho – Joana Sarmento

Testemunho – Joana Sarmento

Três décadas de acção da Pastoral Universitária! Um momento a celebrar em conjunto!

O desafio proposto? Um contributo, por escrito, para a construção de um testemunho colectivo. Cabe-me, assim, também a mim, colocar uma pequena fracção na edificação deste memorial dinâmico e vivo. É sempre difícil expor e condensar por palavras as vivências que se tiveram/têm nestes âmbitos e esta proposta serve também para o exercício pessoal de reflexão sobre esta passagem e participação.Para situar historicamente: pertenço à equipa desde o ano 2013/2014, convite que me foi dirigido pelo Pe. António Bacelar, ainda a integrando actualmente.

A fim de levar a cabo o desafio e de não tornar o texto muito longo vou destacar alguns aspectos mais particulares, esperando que não se percam na memória todos os outros igualmente importantes. Começo por referir o que não esperava encontrar e os desafios daí decorrentes. Há sempre uma dose de imprevisto nos lugares e nas actividades que encetamos e, assim, também aqui. Alguns dos mais significativos desafios foram os de participar e contribuir em tarefas, modos de pensar diversos do que estava mais habituada, num repto, sentido desde o início, a “sair” e também a “ousar” outros modos e desempenhos. Ao ponto de poder dizer, olhando para trás, que talvez o meu principal contributo para a PU tenha ocorrido dentro de territórios que não me são/eram tão familiares. Daqui ficou a percepção da relevância que pode ter o contribuir não somente com o que é mais confortável, ou para o qual se tem aptidão imediata, mas com o que se tem e pode fazer. Até porque, também por aqui, se podem abrir novos encontros, novos caminhos como, de facto, aconteceu. Guardo com particular alegria o Ciclo de Cinema, a Quaresma e Páscoa Andante, o Eis o Homem em que participei mais de perto, mas igualmente a Missa e Chácristia, as Reuniões mensais, o Porto de Visita, os Saberes Repartidos, Taizé, entre outros. Em suma, a experiência na PU empurrou para uma disponibilidade mais simples, mais próxima, uma maior abertura.

Um outro ponto em que coloco grande destaque é o do encontro com as pessoas diversas que formam o grupo, sobretudo o mais estrito, do secretariado. Foi com enorme prazer, e não sem uma boa dose de surpresa – porque ficamos surpresos também nas coisas boas -, que pude conhecer este grupo tão diverso e estimulante. A possibilidade de aproximação a pessoas com vivências e realidades distintas foi/é extraordinariamente enriquecedor; o contacto próximo e a convivialidade estabelecida são-no ainda mais!

Também a nível da fé esta passagem colocou desafios. O que quero transmitir, o meu próprio grau de adesão e desempenho, etc. Embora nunca se aparte da vida quotidiana, o desafio de, de alguma forma, levar a outros a mensagem cristã, coloca de forma mais premente a vivência diária destas questões, e, assim, estes foram também tempos de reflexão e crescimento.

Três décadas de acção da Pastoral Universitária! Um momento a celebrar em conjunto! Parabéns a todos quanto a integraram ao longo dos anos. Uma saudação mais especial ao Pe. Bacelar pela sua dádiva de três décadas à PU, com entrega, alegria e “espírito de luz” :).

Joana Sarmento
Maio 2015

 

Leave a Reply

css.php